Vanguarda e tradição: um fim de semana em Santos

Vanguarda e tradição: um fim de semana em Santos

Santos é uma daquelas cidades em que o passado e o presente se misturam de uma maneira bem sutil. Berço econômico e cultural de São Paulo, a cidade foi o espaço mais importante do estado até o fim do ciclo do café, nos anos 30.

Andar pelas suas ruas – ou pelas areias – é uma experiência quase “atemporal”, em que é possível notar resquícios dos tempos dos bandeirantes materializados em casarões portugueses, e também da vanguarda, representada pelos imponentes arranha-céus modernos. O que impressiona é a perfeita harmonia entre ambos.

Mesmo perdendo força como centro econômico nas últimas décadas, o lugar se recuperou, ganhando não somente uma alma turística por suas belezas naturais, mas atraindo visitantes de todo o mundo por um bom motivo: o futebol.

Acompanhe as nossas sugestões para 48 horas de um mergulho na peculiar vida santista.

Natureza e modernidade

Maior do mundo em extensão, o jardim da orla de Santos é atração obrigatória na cidade (foto: )

Maior do mundo em extensão, o jardim da orla de Santos é atração obrigatória na cidade (foto: Ale Melo)

Para começar o passeio sentindo a aura mística que envolve a cidade, vá caminhar pelo jardim de praia santista, o maior jardim de orla do mundo. Cercado por mata nativa e espécimes animais, o imenso tapete colorido é um dos orgulhos da cidade. Antes do desjejum, aproveite para visitar o Museu do Surf, instalado na própria orla, e aprenda um pouco mais sobre o esporte.

Depois de experimentar um pouco da natureza santista, vá à Casa Santa Maria, no Gonzaga – e próxima ao Museu –, para um café da manhã reforçado. Tradicional na cidade, a padaria tem como especialidades sanduíches, pães e bolos.

Assim que estiver bem alimentado, a sugestão é visitar outro bastião da cidade, a Vila Belmiro. Além de conhecer o estádio do time de futebol oficial da cidade, o Santos Futebol Clube, você também poderá visitar um dos acervos esportivos mais famosos do mundo, o Memorial das Conquistas. Com projeções multimídia e uma das salas de troféus mais desejadas pelos torcedores do esporte, você também poderá conhecer a trajetória de ídolos santistas, como Pelé, o maior jogador da história.

O Estádio Urbano Caldeira, também conhecido como Vila Belmiro. O lugar abriga um dos orgulhos da cidade, o Santos Futebol Clube (foto: )

O Estádio Urbano Caldeira, também conhecido como Vila Belmiro. O lugar abriga um dos orgulhos da cidade, o Santos Futebol Clube (foto: )

Na hora do almoço, a dica é o restaurante italiano Cantina di Lucca, no bairro do Gonzaga. O prato mais famoso da casa é o escalope ao molho madeira com talharim aos quatro queijos.  Um verdadeiro clássico. A sobremesa fica por conta da Sorveteria Royal, a mais famosa da cidade. Com 28 sabores disponíveis, o lugar conquistou o gosto dos santistas através de uma fórmula secreta, que é passada criteriosamente de geração em geração.

No começo da tarde, aproveite para caminhar pela praia e visite a Fonte do Sapo. Tradicional ponto de encontro à beira-mar, o chafariz é uma boa opção para tomar sol e entrar em contato com os caiçaras. Para quem preferir estender o passeio, o orquidário de Santos é uma boa pedida. Uma verdadeira floresta urbana, com mais de 22 mil metros quadrados de extensão, o espaço arborizado reúne diversas espécies vegetais e animais, que convivem de maneira tranquila com os milhares de visitantes do lugar.

Em seus mais de 22 mil metros quadrados, o Orquidário de Santos abriga diversas espécies animais e vegetais (foto: )

Em seus mais de 22 mil metros quadrados, o Orquidário de Santos abriga diversas espécies animais e vegetais (foto: Ale Melo)

Para o tradicional happy hour, o Almanaque tem tudo o que se pode querer de um bar litorâneo. Cerveja gelada, música ao vivo e boas conversas são os maiores atrativos da casa. Já para o jantar, o Puerto de Palos é o lugar escolhido para celebrar o fim deste primeiro dia. Ao som de um bom tango, o restaurante tem como carro chefe de seu cardápio a boa parillada argentina.

História e tradição

Na lanchonete do Palácio do Café é possível provar mais de 30 variações da bebida (foto: )

Na lanchonete do Palácio do Café é possível provar mais de 30 variações da bebida (foto: )

Ao invés de praia e natureza, o segundo dia do roteiro vai mergulhar na importância histórica de Santos. E, para começar, nada melhor do que fazer um desjejum caprichado no Palácio do Café. O lugar, até os anos 30, abrigava a sede da bolsa cafeeira, onde eram definidos os preços de compra e venda dos grãos.

Depois de experimentar as diversas variações da bebida, também é possível visitar o prédio histórico, que tem como destaque uma série de vitrais feitos pelo artista Benedicto Calixto. Ao sair do edifício, visite a antiga estação da São Paulo Railway, ferrovia que fazia o transporte do café do interior do estado ao litoral. Pelas imediações também há alguns prédios históricos e as ruínas do Valongo, antigo bairro santista que sofreu um incêndio há algumas décadas.

Se depois desta caminhada você estiver faminto, na Praça do Centro histórico há a opção de almoçar no Restaurante Largo do Café, com pratos de culinária brasileira no cardápio.

Para quem quiser "voltar no tempo", há um passeio de bonde na antiga pista da São Paulo Railway  (foto: )

Para quem quiser “voltar no tempo”, há um passeio de bonde na antiga pista da São Paulo Railway (foto: )

Terminando a refeição, o último passeio do dia é uma volta de bondinho em Monte Serrat, uma montanha bem no meio de Santos. Lá de cima é possível ter uma vista panorâmica da cidade.

Antes de voltar para casa, que tal experimentar um dos bolinhos de bacalhau mais famosos da cidade? O tradicional Bar do Toninho, com mais de 40 anos de tradição, já é parte da história permanente dos santistas. E é aquela cervejinha gelada que colocamos um ponto final em nossa viagem por Santos.

 

 

Foto de capa: Ary Diesendruck

Assuntos: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *