Sustentabilidade e jardins verticais pelo mundo

Sustentabilidade e jardins verticais pelo mundo

Os jardins verticais já mudaram a paisagem de São Paulo com o projeto “corredor verde” no Minhocão, realizado pelo Movimento 90o, que pretende plantar 8 mil metros quadrados de área verde para melhorar a qualidade ambiental no centro da cidade. A ideia surgiu depois do decreto publicado em 2015, o qual permite empresas a fazerem a compensação ambiental de obras e serviços na capital por meio da instalação desses jardins verticais em prédios comerciais e condomínios. Que tal conhecer mais sobre esses jardins?

Vamos começar com a instalação. Será que uma planta colada nas paredes dos prédios ou dentro da sua casa oferece riscos à estrutura? A resposta é não, pois o jardim vertical fica anexo à parede, ou seja, existe um vão de 10 centímetros entre a parede e o próprio jardim para circular o ar. A estrutura é feita de resíduo industrial que sustentam blocos de feltros cheios de bolsos para acomodar as plantas. No projeto do Minhocão, a água que irriga as plantas é captada da chuva do telhado e desce por um cano, que, ao circular, acaba sendo reutilizada.

“Na sua casa, você pode fazer o seu jardim vertical com um sistema de irrigação usando uma calha, um ponto de água e um de esgoto. Embora seja um processo simples, recomendo o auxílio de um profissional especializado”, diz a designer de interiores Laura Santos. “Também é possível fazer jardins mais simples, com apenas vasos e irrigação manual, colocados sobre uma tela e uma estrutura parafusada na parede”, acrescenta.

Os jardins verticais vêm sendo utilizados em todo mundo. Em 1992, a Cidade do México era considerada a capital mais poluída do mundo pela ONU. Para mudar essa realidade, as autoridades municipais criaram o projeto Proaire, que, entre 2002 e 2010, executaram mais de 80 medidas contra a poluição com os jardins verticais tendo um papel essencial nesse processo.

No México, os jardins foram uma alternativa para melhorar a sustentabilidade urbana virando monumentos. Hoje são sete jardins gigantes espalhados pelos bairros da capital mexicana.

Segundo a ONG VerdMX, cada metro quadrado dessa plantação é capaz de filtrar até 130 gramas de poluentes.  Somando tudo isso, em um ano, um prédio de quatro andares revestido por jardins pode tirar do ar cerca de 40 toneladas de partículas poluentes da cidade.

Singapura abriga hoje um dos prédios sustentáveis mais antigos do mundo, o EDITT Tower (Ecological Design In The Tropics). O projeto é dos anos 90 e foi concebido pela TR Hamzah & Yeang, do arquiteto Ken Yeang, e patrocinado pela Universidade Nacional de Singapura. São 26 andares, e metade da sua superfície é coberta por vegetação, o que melhora a biodiversidade do local e ainda contribui para a reabilitação do ecossistema da cidade.

sustentabilidade-02

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *