Saiba onde aprender e praticar skate em São Paulo

Saiba onde aprender e praticar skate em São Paulo

Marginalizada nos anos 80, a prática do skateboarding – ou simplesmente do skate – se tornou uma verdadeira febre na capital paulista nos últimos anos. Hoje em dia, não é raro encontrar praticantes do esporte nas principais ruas e avenidas da cidade, em parques públicos ou nas pistas especializadas.

Com uma infinidade de manobras e tombos, estes novos skatistas têm trazido variações menos conhecidas do objeto, que além do modelo tradicional, contam também com os tamanhos mini e longboard. Cada um destes têm as suas especificidades e servem para um tipo específico de praticante.

Quem usa os skates convencionais pode tanto fazer piruetas sob o half pipe – pista de manobras em formato de U – quanto se locomover pelas ruas e avenidas em velocidade, costumeiramente chamado de street.

Já quem usa os outros tipos de shape, que é a plataforma de madeira que compõe o objeto, normalmente são adeptos de modalidades como o downhill e speed, atreladas a ambientes urbanos, mas que tem como objetivo fazer manobras sem pulos.

Se você é adepto desta “tribo” ou tem vontade de sair por aí sobre quatro rodinhas, o Morar Kallas selecionou alguns dos lugares mais indicados. Pé na tábua!

Iniciantes

Manter-se em pé ainda é um desafio? Se a resposta for positiva, então você ainda é um “prego”, como são chamados os iniciantes no skateboarding. Neste caso, andar em locais planos, com pouco fluxo de pessoas e obstáculos é a melhor opção para aprimorar as suas habilidades.

A praia dos paulistanos, o Parque do Ibirapuera é o local ideal para começar a praticar o skateboarding (foto: Marcos Nozella / Flick Creative Commons)

A praia dos paulistanos, o Parque do Ibirapuera é o local ideal para começar a praticar o skateboarding (foto: Marcos Nozella / Flick Creative Commons)

Muitos skatistas novatos adotam o Parque do Ibirapuera como o seu local de treino. Lá, o ponto de encontro é na famosa marquise, que atualmente, é livre de segunda a sábado. Aos domingos e feriados, as rodinhas ficam proibidas após as 12 horas. Neste horário, muitos praticantes seguem para Bosque das Araucárias, dentro do parque mesmo, que também tem um espaço destinado a eles.

Com ladeiras e poucos obstáculos, a pista do Parque da Independência é o local ideal para quem ainda está aprendendo (foto: Leonardo Shinagawa / Flickr Creative Commons)

Com ladeiras e poucos obstáculos, a pista do Parque da Independência é o local ideal para quem ainda está aprendendo (foto: Leonardo Shinagawa / Flickr Creative Commons)

Outra opção para quem ainda está aprendendo é o Parque da Independência, na zona sul da cidade. Apesar de não possuir pistas, o local recebe muitos skatistas de downhill, prática de descer longas ladeiras sobre rodinhas. Com uma topografia perfeita para a modalidade, o parque tem horários especiais para skatistas nos fins de semana. Nos demais dias, o acesso é livre.

Intermediários

Com pistas divididas, o Parque da Juventude recebe skatistas de todos os graus de habilidade (foto: Marco Gomes / Flickr Creative Commons)

Com pistas divididas, o Parque da Juventude recebe skatistas de todos os graus de habilidade (foto: Marco Gomes / Flickr Creative Commons)

Para quem já está seguro de suas habilidades, porém ainda não é um ás do skate, também há boas alternativas. Um dos pontos preferidos de quem pratica o esporte na cidade, o Parque da Juventude, na zona norte, tem áreas dedicadas a todos os perfis de esportistas. Até mesmo os iniciantes tem uma área exclusiva. Qualquer um pode utilizar as instalações, que ficam abertas de segunda a sábado, das 6h à meia noite, e domingo, das 6h às 22h.

Quem já estiver tentando os primeiros pulos e manobras complexas pode escolher a Praça Roosevelt, no centro. Após uma reforma recente, o lugar tem o chão liso e também corrimões, para quem gosta de se arriscar nos slides.

Avançado

Na Avenida Paulista, os skatistas mais experientes usam canteiros e calçadas como obstáculos (fotos: Bruno Padilha / Flickr Creative Commons)Commons)

Na Avenida Paulista, os skatistas mais experientes usam canteiros e calçadas como obstáculos (fotos: Bruno Padilha / Flickr Creative Commons)Commons)

Se obstáculos e rampas são meros brinquedos em seu caminho, já é hora de enfrentar novos desafios pela cidade. Depois das últimas reformas, a calçada da Avenida Paulista se tornou um dos lugares mais procurados pelos esportistas.

Os praticantes da modalidade street usam escadarias, canteiros e até mesmo as pessoas no caminho para desenvolver o melhor sua prática. Eles se reúnem praticamente todos os dias, em qualquer horário, entre as estações Trianon-MASP e Consolação do metrô.

Completo, o parque Zilda Natel tem até uma pista Banks, que lembra uma piscina (foto: Henrique Yasuda / Flickr Creative Commons)

Completo, o parque Zilda Natel tem até uma pista Banks, que lembra uma piscina (foto: Henrique Yasuda / Flickr Creative Commons)

Inaugurado em fevereiro de 2009, o Parque Zilda Natel tem um dos circuitos mais completos da cidade. Instalado ao lado da estação Sumaré do metrô, o local dispõe de espaço para os adeptos do street e também conta com três pistas, sendo uma com rampas e corrimões, outra com banks (pista que lembra uma piscina vazia) e uma com minirrampa em formato de U. Aberto todos os dias das 9h às 21h, o espaço fica ao lado da estação Sumaré do metrô.

 

 

Crédito foto de capa: Beraldo Leal / Flickr Creative Commons)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *