Refresque seu apartamento com ar condicionado

Refresque seu apartamento com ar condicionado

Foi-se o tempo em que um aparelho de ar condicionado era considerado um luxo. Com as temperaturas cada vez mais altas nas grandes cidades, o item está se tornando, pouco a pouco, um eletrodoméstico comum para boa parte das famílias. Para quem vive em apartamentos, então, ter um dispositivo para resfriar os ambientes é algo cada vez mais necessário.

Mas antes de procurar – e comprar – o aparelho, procure se informar com o zelador de seu prédio sobre as regras e recomendações para este tipo de instalação. O modelo de parede, por exemplo, salvo poucas exceções, certamente necessitará da ajuda de um pedreiro para ser embutido. A presença de um eletricista também pode ser certa, já que também é imprescindível ter uma ligação elétrica próxima ao aparelho.  “Essa instalação deverá ser feita com eletroduto e fiação toda embutida. Desta forma, necessita rasgar a parede, embutir a tubulação elétrica, rebocar, emassar e pintar a parede novamente”, afirmou o engenheiro Ricardo Gibrail, presidente da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava).

(foto: divulgação)

Mais baratos, os sistemas embutidos demandam instalação elétrica e de alvenaria (foto: divulgação)

Nos modelos split, que tem as unidades separadas, é necessário que o apartamento tenha ao menos um ponto de alimentação (220v) e também um de drenagem dedicados ao ar condicionado. De acordo com o técnico de instalações da Doctor Frio Abraão Barbosa a preferência é que estas saídas estejam próximas aos aparelhos.

Caso não estejam, é necessário adquirir outros itens para compensar esta distância. “Para o dreno, já existe uma bombinha bem silenciosa, capaz de levar a água de um ponto a outro, em média até 50m, utilizando uma mangueira específica” disse o especialista. Já para alimentação elétrica é possível fazer uma “boneca” de gesso, que irá embutida na tubulação, incluindo a mangueira de dreno, conduíte e tubulação do ar condicionado. “Essa boneca é bem discreta e pode complementar a decoração do apartamento, podendo fazer uma sanca aberta ou fechada, por exemplo,” concluiu o técnico.

Escolhendo o aparelho

Depois de verificar a estrutura de seu apartamento, é hora de escolher o sistema ideal para seu lar e seu bolso. Embora esteja perdendo esta condição nos últimos anos, o modelo mais usado ainda é o de parede (ou de janela, como é chamado por alguns fabricantes), que é mais barato e fácil de instalar. No entanto, este tipo de ar condicionado emite um alto nível de ruído e consome muita energia, tornando-o uma opção não tão atraente para a atualidade.

 

(foto: divulgação)

Prático e discreto, o modelo split pode ser instalado em qualquer cômodo da casa (foto: divulgação)

Focado justamente nas fraquezas do antecessor, o modelo Split é bem mais silencioso. O aparelho é dividido em duas unidades: a externa, que abriga o compressor e é mais ruidosa, e a interna, que faz o resfriamento, aquecimento e filtragem do ar, que pode ser instalada em um ou mais cômodos da casa.

Caso opte por um ar condicionado deste tipo – que chega a ser 30% mais caro –, deve verificar se haverá espaço suficiente para abrigar o “motor” do ar condicionado. “Em alguns apartamentos é permitido colocar a condensadora do lado de fora da janela. Em outros, onde não é permitido, costumamos usar uma parte da área serviço, pendurando a maquina no teto bem próximo da janela, isolando aquela área”, disse Barbosa. Por essa razão, é imprescindível consultar a administração do edifício para conferir se o uso desse tipo de aparelho é permitido.

Outro aspecto que Barbosa ainda chama a atenção é a frequência de uso. De acordo com ele, existem no mercado máquinas que possuem o sistema “inverter” que, além de silencioso, ainda oferece uma redução de ate 60% no consumo de energia.

Autônomas, as peças do dispositivo funcionam mesmo em cômodos diferentes (foto: divulgação)

Autônomas, as peças do dispositivo funcionam mesmo em cômodos diferentes (foto: divulgação)

O terceiro tipo mais usado é o portátil, que não necessita de instalação e pode ser carregado para qualquer lugar. Assim como os splits mais modernos, os modelos mais recentes de ar condicionado móvel possuem controle remoto de operação e mantém baixo nível de ruído.

Antes da compra, independentemente da variação escolhida, os especialistas recomendam verificar a potência do equipamento, dada em BTUs, que varia de 7.500, nos modelos mais fracos a 18 mil nos mais potentes. Para saber a potência ideal para seu quarto ou sala, o cálculo é feito de maneira simples: para resfriar uma área de 1 m² são necessárias 600 BTUs, o que exige de um aparelho instalado em uma sala de 10 m² tenha capacidade mínima de 6 mil BTUs.

Custo

(foto: divulgação)

Pequenos e eficientes, os aparelhos portáteis são uma opção para quem preza pela mobilidade (foto: divulgação)

Embora varie muito, por conta do tamanho e das condições de cada apartamento, o pacote completo normalmente não custa menos do que R$ 2 mil. De acordo com Barbosa, nesta hora é preciso tomar muito cuidado ao escolher uma empresa para executar o serviço.

“O ideal é analisar o tempo que ela está no segmento, a qualificação dos profissionais e, sobretudo, o tipo de material que a mesma irá utilizar na instalação. Algumas empresas, por exemplo, costumam utilizar tubulação de alumínio no lugar do cobre. Esta é bem mais barata, mas costuma dar muito problema,” concluiu ele.

 

 

Foto de capa: divulgação/ New Carrier

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *