Quarto do bebê: o templo do mais novo integrante da família

Quarto do bebê: o templo do mais novo integrante da família

Definir como será o quarto do bebê que está a caminho é um dos assuntos discutidos pelos pais durante boa parte da gravidez. A cor da parede, o tamanho e a disposição dos móveis e os elementos da decoração são algumas das escolhas a serem feitas.

Detalhes como estes, muitas vezes acabam passando na frente de outros aspectos bem mais importantes, como o conforto e o bem-estar do futuro morador daquele espaço.  “Antes de qualquer coisa, deve-se pensar em tudo o que cerca o mundo infantil, em todo o universo da criança, as necessidades que esse quarto precisa comportar,” disse a arquiteta Cíntia Aguiar.

Azul ou rosa?

Mesmo sem ideias para o “conceito” do quarto, há sempre uma ideia do que se esperar quando o assunto é a cor. Neste quesito, é importante optar por tons suaves, que possam trazer segurança e tranquilidade para o pequeno.

Ao contrário do que se pensa, fugir do óbvio é uma boa pedida e até aconselhável. “O quarto do bebê pode receber outras cores que fujam do rosa ou o azul, além de poder misturar diferentes tons,” afirmou Cíntia. Cores mais claras, próximas ao branco, estão no topo desta lista.

Móveis

Em qualquer configuração básica, o quarto do bebê precisa ter ao menos um berço, uma cômoda, prateleiras e uma cadeira ou poltrona para a amamentação. Na escolha dos móveis, independente do estilo que preferir, é importante certificar-se de que todos eles tenham cantos arredondados, pois oferecem riscos menores para a segurança aos pais.

Quanto às cores, a sugestão de Cíntia é  usar tons calmos ou sóbrios. “Nos meus projetos procuro fugir do branco, uso cores mais neutras nos móveis e cores mais vibrantes nos acentos visuais,” disse ela .

Brinquedos

Neste quarto, Cintía Aguiar optou por deixar os brinquedos à vista das crianças. A estratégia costuma acalmá-las - Foto: Divulgação

Neste quarto, Cintía Aguiar optou por deixar os brinquedos à vista das crianças. A estratégia costuma acalmá-las – Foto: André Bastian / divulgação

Qual criança não gosta de brinquedos? Tê-los aos seu alcance costuma acalmá-las e as entretêm por muito tempo. Deixá-los à vista dos pequenos é uma arma que muitos pais gostam de utilizar.  “[Antes de serem incluídos na decoração] cada brinquedo precisa ser avaliado, analisando para qual idade e fase da criança ele é adequado. Depois disso, é possível escolher alguns para serem usados na decoração,” pontuou Cíntia.

Iluminação

Alternar tons e tipos de lâmpadas é importante para não atrapalhar o sono do bebê - Foto: divulgação

Alternar tons e tipos de lâmpadas é importante para não atrapalhar o sono do bebê – Foto: André Bastian / Divulgação

Dinâmica, a iluminação do quarto do bebê deve ser capaz de se adequar a diferentes cenários e situações. “Quando o bebê vai ser trocado, por exemplo, é necessária uma luz mais forte. Já quando está dormindo, ter luminosidade mais suave é o mais adequado. Lâmpadas diferenciadas também podem trazer benefícios para o ambiente. As luminárias com led, por exemplo, podem ter efeito de cromoterapia para tranquilizar o bebê. Tudo precisa ser planejado para confortar o pequeno, ” afirmou a profissional.

Crescendo rápido

Munido destas dicas, já é possível começar a planejar o cantinho do seu bebê. Com o auxílio de bons profissionais, use suas preferências e não se esqueça de que eles não serão assim para sempre. “Pensar que o bebê cresce rapidamente é muito importante para avaliar como o espaço pode ser aproveitado,” lembrou ela.

 

 

 

Foto de capa: André Bastian / divulgação

Assuntos: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *