Piso de deck é opção sofisticada para a decoração da varanda

Piso de deck é opção sofisticada para a decoração da varanda

Tradicionalmente usado para revestir áreas com grande incidência de água ou sujeitas a intempéries, o piso de deck passou a ser bastante requisitado em apartamentos e casas menores, mas com uma função um pouco diferente do usual: decorar varandas e quintais.

Para o paisagista Alexandre Fang, esta reinvenção do revestimento deve-se ao visual distinto do piso e também pela facilidade em sua montagem. “O deck é uma excelente opção para quem quer um efeito diferente na varanda sem ‘quebra-quebra’. Além disso, o revestimento também pode dar uma cara de jardim à sacada ou mesmo continuar com o elemento madeira, caso ela esteja presente no piso da sala de estar”, disse o especialista.

Já o Diretor da Flex Deck, Sebastião Adorno, acredita que além do aspecto estético, o sucesso do piso deve-se à qualidade e resistência em relação aos demais. “Os produtos de madeira sempre trazem elegância e aconchego a qualquer ambiente, mas os principais benefícios são a sua durabilidade, resistência ao tempo e à propriedade antiderrapante, que impede muitos acidentes”, afirma o executivo.

Tipos mais comuns

Enquanto as ripas fechadas são mais indicadas para ambientes comuns, as placas abertas devem ser usadas em ambientes externos, como os espaços próximos à piscinas (foto: divulgação)

Enquanto as ripas fechadas são mais indicadas para ambientes comuns, as placas abertas devem ser usadas em ambientes externos, como os espaços próximos a piscinas (foto: divulgação)

Para quem pretende levar esta nova tendência para a varanda, a arquiteta Lúcia Lauretto, da Arts Gomes, alerta para os diferentes tipos e medidas existentes no mercado atualmente. “Nós trabalhamos com dois tamanhos padronizados para as ripas: as de 4 cm e as de 10 cm de largura. As fechadas podem ser usadas em cômodos cobertos ou em locais com bastante circulação, enquanto as vazadas são melhor aproveitadas em ambientes abertos, com incidência de sol” disse ela.

Normalmente feito em peças modulares – de encaixar – ou construído sob medida, os pisos podem usar várias qualidades de madeira. Por isso, na hora em que for escolher o revestimento, Fang recomenda conhecer bastante os cuidados que cada tipo necessita.“A madeira requer manutenção. Deve ser lixada, seguido de aplicação de resina protetora uma vez ao ano, no mínimo. Normalmente a peroba-rosa é mais resistente, porém mais cara”, contou.

O mercado também conta com outras opções alternativas, mas com o mesmo efeito. Uma das mais conhecidas é o piso ecológico, feito a partir do reaproveitamento de plástico e madeira de demolição. Produzido pela Madeplast, o revestimento também é imune a fungos e outras pragas que podem acometer a madeira.

Feito da mistura de plástico com madeira de demolição, o piso da Madeplast é sustentável e prático (foto: divulgação)

Feito da mistura de plástico com madeira de demolição, o piso da Madeplast é sustentável e prático (foto: divulgação)

Com índices baixíssimos de manutenção, ele não precisa ser lixado nem pintado com frequência. A contrapartida, porém, é que costuma ser mais escorregadio e quente do que o piso tradicional.

Outra solução muitos utilizada para “imitar” a madeira é o porcelanato. Fáceis de limpar e com grande possibilidade de customização, eles podem ser a opção ideal para quem aprecia a madeira, porém prefere pisos cerâmicos. A Portobello, uma das mais tradicionais fabricantes deste tipo de revestimento, ressalta a diversidade de desenhos e possibilidades como um diferencial do produto diante dos similares.

Feitos em material cerâmico, os pisos da Portobello imitam o efeito de madeira, mas com mais facilidades de manutenção (foto: divulgação)

Feitos em material cerâmico, os pisos da Portobello imitam o efeito de madeira(foto: divulgação)

A desvantagem, porém, diz respeito à instalação, que requer intervenções de alvenaria e “quebradeira” na varanda.

Além dos já citados, existe ainda uma quarta variação: o piso cimentício. Atérmicos, ou seja, que não absorve calor, este revestimento pode ser mais resistente que a madeira em muitos casos. “Aplica-se sobre o piso um tipo de resina para chegar-se ao tom desejado. Essa resina deverá ser aplicada a cada dois anos”, destacou o paisagista.

Instalação e custo

Na hora de escolher qual tipo adquirir, é importante avaliar a intensidade do uso que do local e o efeito estético esperado. O preço, muitas vezes também pode ser um fator decisivo. Decks feitos em madeira, por exemplo, podem ser encontrados a partir de R$ 250/m², chegando a R$ 600/m², dependendo do material escolhido e de particularidades da instalação. “Ao escolher o deck é importante observar se o material foi produzido especialmente para aplicações externas e para áreas expostas a intempéries. Do contrário, a durabilidade e a segurança podem ficar comprometidas”, afirmou Adorno.

Mais resistente que os demais, o piso de madeira necessita de manutenção anual (foto: divulgação)

Mais resistente que os demais, o piso de madeira necessita de manutenção anual (foto: divulgação)

Segundo ele, no ato da compra é necessário que se tenha a medida exata do ambiente, acrescentando uma margem de 10% adicional de material para possíveis imprevistos. “Durante a instalação nos locais onde serão feitos os recortes, faça a medição do espaço que sobrou e utilize serra circular para melhor acabamento”, completou o executivo.

Fang também não crê em dificuldades na hora de acoplar as peças, porém aconselha que a instalação não seja feita diretamente sobre o piso. “A melhor opção é usar uma borracha na base para evitar o impacto da madeira no piso cerâmico, o que causará barulho. Além disso, deve criar-se atrito sobre o piso para evitar-se que o deck ‘escorregue’”, alertou o paisagista.

Com as mesmas precauções, o piso de plástico tem custo um pouco menor, variando entre R$ 100/m² a 200m².  O porcelanato é o mais barato dos três, com média de R$ 70/m², mas também é preciso considerar os custos extras relacionados à instalação. Já que antes de qualquer intervenção, é necessário ter o contra piso nivelado. Quanto maior o formato da placa, mais atenção ao nivelamento da base. Este serviço, preferencialmente deve ser realizado por um pedreiro habilitado, para garantir a regularidade e resistência das peças.

Decoração

Pedras, móveis e plantas são algumas das melhores opções para deixar o "deck" com a sua cara (foto: Pinterest)

Pedras, móveis e plantas são algumas das melhores opções para deixar o “deck” com a sua cara (foto: Pinterest)

Depois de escolhido o material mais adequado às suas necessidades, é hora de definir os elementos que vão compor a varanda. Todos os profissionais entrevistados aconselham a elaboração de um projeto, que envolva as medidas corretas das peças, as cores e desenhos que mais satisfaçam seu gosto pessoal.

Elementos como lâmpadas de LED, plantas, pedriscos, móveis e esculturas podem enriquecer ainda mais a varanda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *