Costela-de-adão: beleza e praticidade para pequenos jardins

Costela-de-adão: beleza e praticidade para pequenos jardins

Força e resistência são adjetivos ideais para definir a Costela-de-adão. Membro da família das aráceas – que possuem jarro, como o copo de leite –, a monstera deliciosa é uma planta que pode se adaptar com rapidez a quase todo tipo de ambiente. Com  folhas grandes e belas, que lembram os ossos do tronco humano, a espécie tem se tornado uma opção exótica para decorar pequenos jardins, varandas ou mesmo ambientes internos.

Rústica e prática, ela pode sobreviver em ambientes com pouca água, luz e também em temperaturas a baixo dos 18° C. De acordo com a jornalista Carol Costa, do site Minhas Plantas, para cultivar a espécie, não são necessários grandes cuidados. “A costela-de-adão é planta de meia-sombra, por isso é ideal para ambientes onde a incidência de raios solares seja indireta ou quase nula”, falou.

Mesmo com pouca luz, água e cuidados, a Costela-de-adão pode sobreviver sem problemas (fotos: Pinterest)

Mesmo com pouca luz, água e cuidados, a Costela-de-adão pode sobreviver sem problemas (fotos: Pinterest)

Por isso, ela aconselha a colocá-la ao sol, em exposição direta,  somente durante o inverno ou em dias nublados. Nos dias ensolarados, é preferível deixá-la dentro de casa, recebendo os raios solares de maneira indireta. “Deixe o vaso num local protegido de ventos fortes, de preferência perto de uma janela, onde bata muita luz, mas não sol”, disse ela.

Rega e cuidados com a terra

Acostumada a climas tropicais, a Costela-de-adão deve, preferencialmente, ser plantada no verão ou primavera, quando o clima é úmido e agradável a ela. A terra – preta, de preferência – precisa ser mantida úmida e com pequenas quantidades de adubo orgânico, para facilitar a fertilização do solo.

Ambientes internos, com baixa incidência do sol são perfeitos para a planta (fotos: Pinterest)

Ambientes internos, com baixa incidência do sol são perfeitos para a planta (fotos: Pinterest)

A irrigação deve ser feita com cautela, afinal, você não vai querer encharcar suas raízes. Carol recomenda que seja feita ao menos duas vezes na semana no inverno e um pouco mais no verão. Na primavera, é recomendável aplicar adubo líquido uma vez ao mês.

Outro cuidado que pode ajudar sua planta a se desenvolver é limpar suas folhas com uma esponja úmida. Com isso, além de retirar o pó que se acumula em suas folhas, você evita que a folhagem fique completamente seca.

Poda e crescimento

Para evitar que a planta cresça demais, é aconselhável podá-la ao menos uma vez por ano (fotos: Pinterest)

Para evitar que a planta cresça demais, é aconselhável podá-la ao menos uma vez por ano (fotos: Pinterest)

Vendida tanto em pequenos vasos quanto em cachepôs, a Costela-de-adão costuma ter um crescimento acelerado e constante. Se você vive em um apartamento muito pequeno, esta não é uma planta aconselhável a você. “Em pouco tempo, ela pode alcançar quase noventa centímetros de comprimento. Neste momento pode ser preciso podá-la”, disse ela.

De preferência, este procedimento deve ser feito na primavera, época onde a espécie mais se desenvolve. A partir daí é preciso cortar galhos e hastes que estejam grandes. O resultado será conforme o gosto e as necessidades do dono da planta.

Fruta tóxico

Raro de florescer em apartamentos, o fruto da Costela-de-adão é comestível, porém tóxico em algumas partes (foto: Pinterest)

Raro de florescer em apartamentos, o fruto da Costela-de-adão é comestível, porém tóxico em algumas partes (foto: Pinterest)

Ao contrário das Monstera deliciosa silvestres, as plantas cultivadas em apartamentos não costumam dar o seu famoso fruto. Se, por alguma razão você conseguir este feito, não esqueça que esta é uma espécie tóxica e os frutos só podem ser consumidos depois amadurecerem por ao menos um ano.

Caso seja consumido antes disso, pode causar lesões na língua, garganta e estômago. Já as folhas e caules, por sua vez, causam náuseas, dores de cabeça e vômitos intensos. Por isso, quando for tratar da sua Costela-de-adão, certifique-se de não encostar as mãos no rosto. Lave as mãos antes de depois de manuseá-la e tome cuidado extra com crianças pequenas e animais de estimação.

 

 

Crédito da capa: Tobias Ziegler / Flickr (Creative Commons)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *